Espanhol Português Inglês
Novidade - Cotação Online
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!


Voltar

A NOVA ISO 22000:2018 PARA SEGURANÇA ALIMENTAR

Publicada em 19 de Junho de 2018, a ISO 22000:2018, cancela e substitui a ISO 22000:2005. A primeira grande atualização da norma internacional para segurança alimentar, desde sua criação em 2005, traz melhorias contínuas para o sistema de gestão de todos os tipos de organizações atuantes na cadeia de alimentos. Para falar sobre essa atualização e suas melhorias, a revista Aditivos & Ingredientes entrevistou, com exclusividade, José Cunha, diretor de Certificação da América Latina do Grupo Bureau Veritas, líder mundial em Teste, Inspeção e Certificação.

Qual o trabalho realizado pelo Bureau Veritas para o setor de aditivos e ingredientes alimentícios?

O Bureau Veritas oferece os serviços de certificação nas normas ISO 22000, FSSC 2000, FSSC 2000 Packaging, BRC, GMP Plus e IFS. Além das certificações ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio Ambiente) e ISO 45000 (Segurança do Trabalho). Além disso, realiza auditorias nos fornecedores em programas setoriais, tais como Global Markets IFS e SMETA.

O que é a certificação ISO?

A certificação é um reconhecimento por uma terceira parte independente, que é o papel do organismo certificador, de que a organização atende aos requisitos estabelecidos na norma ISO avaliada, comprovando que a organização atende e atinge seus objetivos e que possui um sistema de gestão implementado.

Qual importância da certificação ISO para as empresas que atuam no setor alimentício?

A certificação nas normas ISO contribui para que as empresas gerenciem de maneira mais efetiva seus riscos, melhorando assim seus processos e, consequentemente, seus produtos. Dependendo da norma implementada, a empresa também pode melhorar a satisfação de seus clientes e atendimento, o desempenho ambiental ou, ainda, o seu desempenho em saúde, segurança e meio ambiente. Além disso, diversas empresas utilizam como critérios de avaliação de seus fornecedores a certificação nas normas ISO, podendo, assim, a certificação ser um diferencial competitivo.

Entre as normas técnicas incorporadas pela certificação ISO, está a norma ISO 22000 - Gestão de Segurança de Alimentos. Em que consiste essa norma e qual a sua abrangência?

A ISO 22000:2018 é o padrão internacional do sistema de gestão de segurança alimentar que define os requisitos para garantir a produção segura em toda a cadeia alimentar, do campo à mesa. A norma foi publicada pela ISO em 19 de junho de 2018 e é estruturada para fornecer melhorias e controle de prevenção e abordagem baseada em risco para a segurança alimentar.

Em 19 de junho deste ano, foi publicada a norma 22000:2018, que cancela e substitui a ISO 22000:2005. Quais as melhorias e mudanças apresentadas por esta nova edição da ISO 22000?

As principais mudanças estão detalhadas a seguir:

•Adoção do Anexo SL: o Texto e Estrutura de Alto Nível comum a todos os padrões do sistema de gestão ISO, tornando mais fácil para as organizações combinar a ISO 22000 com outros sistemas de gestão como ISO 9001 (Qualidade) ou ISO 14001 (Ambiental), economizando tempo e dinheiro;

•Gestão de Riscos: a organização deve determinar, considerar e tomar medidas para tratar de quaisquer riscos no nível operacional - Plano de Análise dos Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). e no nível estratégico do sistema de gestão de segurança de alimentos, sob a perspectiva de negócios;

•A organização deve identificar, revisar e atualizar informações relacionadas a essas questões externas e internas;

•Reforço da ênfase no compromisso de liderança e gestão: novas demandas para engajar e responsabilizar-se ativamente pela eficácia do sistema de gestão e assegurar a comunicação à organização para apoiar melhorias contínuas;

•Introdução de ciclos de do método Planejar-Fazer-Verificar-Agir (Plan-Do-Check-Act – PDCA) em dois níveis, tendo dois ciclos separados trabalhando juntos na norma, um cobrindo o sistema de gestão e outro cobrindo os princípios de APPCC;

•É dada uma descrição clara das diferenças entre termos chave, tais como: Pontos Críticos de Controle (PCCs), Programas Operacionais de Pré-Requisitos e Programas de Pré-Requisitos (PPRs);

•O plano APPC e PPR Operacional são reunidos em um Plano de Controle de Riscos com critérios de ação a serem definidos para os PPRs Operacionais e PCCs identificados;

•A validação das medidas de controle deve ser documentada e conduzida antes da implementação do plano APPC;

•Controle de processos, produtos ou serviços fornecidos externamente, introduzindo a necessidade de controlar os fornecedores de produtos, processos e serviços (incluindo processos terceirizados) e assegurar a comunicação adequada de requisitos relevantes, para atender aos requisitos do sistema de gestão de segurança de alimentos;

•Eficácia das ações tomadas para abordá-las, oportunidades de melhoria contínua, adequação de recursos, etc.

Esta é primeira grande atualização da norma internacional para segurança alimentar desde a sua criação em 2005. O que motivou a sua revisão depois de 13 anos?

Periodicamente, as normas ISO são revisadas para assegurar sua adequação e relevância no mercado. O que se percebe é que, mundialmente, é crescente a demanda dos consumidores por uma produção de alimentos segura e sustentável, combinada com a transparência nas cadeias de suprimentos. Então, as empresas precisam se transformar constantemente para se manterem à frente da segurança alimentar. A ISO 22000 permaneceu inalterada desde 2005, apesar das transformações da indústria de alimentos. A revisão da norma em 2018 vem para ajudar a impulsionar essa vantagem competitiva e torná-la alinhado a outros padrões internacionais.

Quais as etapas que as indústrias do setor alimentício, incluindo o setor de aditivos e ingredientes, deverão seguir para se adequarem a nova edição da norma ISO 22000?

É fundamental que as indústrias participem de treinamentos sobre a norma para entender os novos requisitos, comunicá-los e implementá-los.

Para a condução da transição para a nova versão, após a realização dos treinamentos, o primeiro passo recomendado é a realização da autoavaliação em relação a esta versão. É essencial que a organização conduza este gap analysis, identificando os novos requisitos e seu nível de atendimento. Após conhecer o cenário atual frente aos novos requisitos, a organização define um plano de ação, detalhando cada atividade que deve ser realizada para que as mesmas sejam acompanhadas pela liderança e comunicadas. Posteriormente, uma auditoria interna pode ser conduzida para verificar se as ações foram eficazmente implementadas. Esses seriam os passos principais a serem conduzidos antes de agendar a auditoria de transição com o organismo de certificação.

Qual o prazo estipulado para a atualização da norma?

As empresas têm três anos desde a publicação da norma para se adequarem, então, o prazo final é de 18 de junho de 2021.

Como as empresas do setor alimentício reagiram a essa atualização?

De maneira positiva, considerando que importantes alinhamentos técnicos a outros padrões foram promovidos nesta nova versão.

Qual o trabalho desenvolvido pelo Bureau Veritas para atender as empresas especificamente com relação a esta atualização?

O Bureau Veritas oferece serviços de gap analysis e treinamentos para esta atualização.

Quais os princípios básicos do sistema de gestão de segurança de alimentos? Quem pode implementar esse sistema?

Qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos pode implementar esta norma. Os principais elementos tratados na norma, que quando combinados asseguram a segurança na cadeia até o consumidor final, são: comunicação interativa, gestão de sistema, programas de pré-requisitos e os princípios de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPC). Adicionalmente, na nova versão, os princípios das normas ISO também são contemplados. São eles: foco no cliente, liderança, engajamento das pessoas, abordagem de processo, melhoria, tomada de decisão baseada em evidência e gestão de relacionamento.

Qual a importância da implementação de um sistema de gestão de segurança de alimentos?

Gerenciar os riscos de segurança de alimentos em toda a cadeia e promover a melhoria contínua na organização, além de garantir melhorias no atendimento aos requisitos legais.

Frases

"A revisão da norma em 2018 vem para ajudar a impulsionar essa vantagem competitiva e torná-la alinhado a outros padrões internacionais".

"A ISO 22000:2018 é o padrão internacional do sistema de gestão de segurança alimentar que define os requisitos para garantir a produção segura em toda a cadeia alimentar, do campo à mesa".

"As empresas têm três anos desde a publicação da norma para se adequarem, então, o prazo final é de 18 de junho de 2021".

"A certificação nas normas ISO contribui para que as empresas gerenciem de maneira mais efetiva seus riscos, melhorando assim seus processos e, consequentemente, seus produtos".




Galeria de Imagens:



Downloads:



Envie um artigo



Telefone:

+55 11 5524-6931

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/AditivosIngredientes

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001