MENU
Participe agora mesmo
Votações
COTAÇÃO DE INGREDIENTES
GUIA DE FORNECEDORES
CADASTRE SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI


Voltar

Artigos Editoriais (geral)


01/08/2019
Mais conteúdo e experiências sensoriais completam a fisa 2019
Com soluções em food, health, organic e natural ingredients, a Food ingredients South America, em sua 23ª edição, se consolida como o evento mais completo de ingredientes alimentícios da América Latina. Para falar sobre as novidades desta edição, a revista Aditivos & Ingredientes - Edição Especial Funcionais & Nutracêuticos - entrevistou, com exclusividade, Márcia Gonçalves, gerente da Food ingredients South America.A Food ingredients South America (FiSA) passou a fazer parte do portfólio de eventos da Informa, um dos maiores organizadores mundiais de eventos B2B. Qual a atuação da Informa no mercado alimentício brasileiro? Qual a representatividade da FiSA para o portfólio da Informa?A Informa tem um portfólio global com mais de 550 eventos e marcas internacionais (sendo mais de 30 no Brasil), das quais a FiSA é o destaque na área de ingredientes alimentícios. Com a inclusão da FiSA em seu portfólio, a Informa agrega a qualidade de uma feira já consolidada no país à sua inteligência para ampliar a força da plataforma de negócios, estreitar e facilitar ainda mais os relacionamentos e ampliar conteúdos oferecidos no evento.É importante ressaltar que a Food ingredients é um evento global de ingredientes alimentícios que acontece em mais de 10 países. Em sua 23ª edição na América Latina, a Fi South America se consolida como o mais completo evento da indústria. Em um mundo que cada vez mais volta os seus olhos para a indústria de ingredientes alimentícios, agregar essa feira ao portfólio da Informa mostra o quanto a empresa está atenta à inovação e às tendências de mercado.Com isso, a Informa Markets amplia os eventos no setor de alimentos e bebidas, agregando ao seu portfólio eventos como a Fi, Vitafoods, SupplySide, entre outros.Quais as principais atrações da FiSA para esta 23a edição? Quais novidades foram acrescentadas?Para acompanhar as tendências de mercado, uma das grandes novidades deste ano é que o número de setores vai aumentar com dois novos destaques: o Industry Insights e o Tasting Experience.Além do Seminar Solutions, um espaço de palestras já consagrado, os visitantes poderão participar do Industry Insights, com apresentações de 30 minutos com casos de sucesso, dados de mercado e tendências que poderão atribuir mais conhecimento aos profissionais da indústria e também ajudar nas tomadas de decisões durante e após o evento.Já no Tasting Experience, os visitantes poderão provar - literalmente - novos sabores, texturas e outras sensações que são tendências na América Latina, oferecidos por empresas como DuPont, LASENOR, Oh My Garlic!, Pronutrition, entre outras já confirmadas. O espaço estará na rua 11, estande 11-36.Um dos destaques da FiSA é o seu conteúdo de atualização profissional, através da sua programação de conferências. Qual o foco desta edição?A FiSA tem uma área especial para discutir assuntos que estão na pauta da indústria de alimentos e bebidas, que é o Summit Future of Nutrition, com foco em tendências de alimentos saudáveis, questões sobre certificação, avanços científicos, aspectos regulatórios, cases de sucesso, entre outros assuntos que serão discutidos. O Summit Future of Nutrition será dividido em três dias de conteúdo: Orgânicos, Naturais & Veganos (20/8); Suplementos Alimentares (21/8); Alimentos Funcionais & Nutracêuticos (22/8).O Summit Future of Nutrition é uma oportunidade de atualização profissional e network com os principais nomes da indústria alimentícia. As conferências reúnem, em mesmo local, os principais P&Ds da indústria processadora e desenvolvedora de ingredientes, com conteúdo único baseado em tendências e estudos científicos. É o maior debate sobre o desenvolvimento de Suplementos Alimentares após a aprovação do Novo Marco Regulatório. A FiSA vai reunir mais de 450 congressistas, profissionais dos mais reconhecidos no segmento do Brasil e da América Latina, entre eles: Sergio Pinto, Senior Executive New Business & Innovation (BRF), Marina Flores, Gerente de Marketing da Marca Actvia (Danone), Eugenia Muinelo, Regulatory Affairs Manager, (EAS Strategies Latin America), Roberto Chazan, Director of International Affairs (Grow Dietary Supplements), Mariela Weingarten Berezovsky, Science and Nutrition Manager (Danone), Angelica Salado, Consultora de Bebidas (Euromonitor).Entre os profissionais também haverá pesquisadores renomados da área, como Marcelo Rogero, Prof. Dr. Coordenador do Laboratório de Genômica Nutricional e Inflamação (USP), Neuza Mariko Aymoto Hassimoto, Dra. Pesquisadora Associada do Food Research Center e do Núcleo de Apoio à Pesquisa em Alimentos e Nutrição (USP), João Paulo Fabi e Franco Lajolo, professores do Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental (USP) e Thais Cristina Lima de Souza, professora (Instituto Federal de São Paulo).No conteúdo de Orgânicos, Naturais & Veganos, podemos destacar assuntos como clean label, adequação à legislação, tendências da rotulagem funcional frontal, desenvolvimento estratégico da cadeia produtiva, comunicação e marketing de produtos orgânicos com foco no consumidor, certificação e rastreabilidade. Os painéis também trarão cases, como resultados nas mudanças de rotulagem no Chile, Leite Ninho Orgânico, Ovo Vegano Plant Based da Granja Mantiqueira e Mel Vegano Orgânico à base de açúcar líquido Bioinvertido.No conteúdo de Suplementos Alimentares (21/8), o Marco Regulatório será um dos assuntos centrais das conferências. Também serão discutidos temas como estabilidade de suplementos, avanços científicos em ingredientes, questões de saúde (como suplementação com proteínas para prevenção de massa muscular), tendências em suplementação para atletas, além de cases, como o do Silício Orgânico.Sobre Alimentos Funcionais & Nutracêuticos (22/8), serão discutidos temas como tendências em bebidas funcionais fermentadas, aspectos regulatórios dos probióticos, avanços científicos na área, plantas alimentícias não convencionais e polifenóis como ingredientes alimentares. Os cases também serão destacados, como o do Activia, da Danone.A grade completa pode ser acessada neste link: fi-events.com.br/pt/conferenciaA FiSA também é palco do Fi Innovation Awards, tradicional prêmio da indústria alimentícia na América do Sul. Quais as categorias desta edição? O Fi Innovation Awards é a principal premiação nacional de inovação das indústrias de ingredientes, alimentos e bebidas. Serão quatro categorias: Ingrediente, Ingrediente Funcional, Produto e Produto FuncionalO comitê de julgamento acontece dia 31 de julho no Hotel Transamerica. Os vencedores serão anunciados no primeiro dia do evento, no coquetel de premiação.Entre os benefícios da premiação, permite o reconhecimento do produto/ingrediente perante a indústria de alimentos e ingredientes; divulgação na imprensa; ganhadores e finalistas terão publicidade gratuita em veículos da FiSA, como site, e-mail marketing e mídia social; os ganhadores terão a possibilidade de utilizar o selo Fi Innovation Awards, perante aprovação da Informa, nas diversas formas de materiais e canais de comunicações para o mercado, bem como na embalagem do produto.Atualmente, tem se falado muito sobre a Indústria 4.0. Como esse tema será abordado na FiSA?Como uma das tendências não só do setor, mas de toda a cadeia de produção mundial, o assunto será discutido durante o Summit Future of Nutrition, paralelamente a painéis que abordam temas como indústria, tecnologia e inovação.Na sua opinião, qual é a principal característica da FiSA?A inovação continua sendo a principal característica da FiSA, evento no qual 80% dos expositores lançam novos produtos. Além disso, temos duas premiações de inovação que consolidam isso: o Start-up Innovation Challenge e o Fi Innovation Awards (já citado mais acima).O Start-up Innovation Challenge volta em sua segunda edição após o sucesso do ano passado. O desafio é aberto a start-ups com até cinco anos de atividade, que trazem inovações em ingredientes e produtos alimentícios nas categorias “Melhor Inovação em Ingredientes Alimentícios” e “Melhor Inovação em Produtos Alimentícios”.Os visitantes podem conferir de perto os vencedores das duas premiações no Coquetel, que acontece no dia 20 de agosto, às 20h, no restaurante do evento.Qual a contribuição da FiSA para o fomento do mercado alimentício e, mais especificamente, para o setor de aditivos e ingredientes?A FiSA chega à sua 23ª edição em um mundo que cada vez mais volta os seus olhos para a indústria de ingredientes alimentícios, fato que nos leva à certeza de que este evento de negócios cresce em importância ano a ano, com o objetivo final de promover o bem-estar e a saúde dos consumidores, além de fomentar o setor de aditivos e ingredientes.A FiSA antecipa tendências de mercado, como o fez ao prever a crescente conscientização de consumidores, que hoje estão ávidos por produtos com apelos saudáveis. Termos como clean label, mood-food, plant-based e flexitarianismo, ainda apontados como “novidades” na cadeia final de consumo, vêm sendo alvo de discussão e análise profunda ao longo de nossas edições.Qual a expectativa para a FiSA 2019 em termos de visitação e realização de negócios?A previsão é que o evento reúna mais de 10.800 profissionais, nacionais e internacionais, e mais de 450 congressistas, uma vez que, nesta edição, estamos com três espaços voltados exclusivamente para conteúdo.Qual a importância da FiSA para as empresas expositoras e para os profissionais que visitam a feira?Para o expositor, é uma oportunidade de acessar mais de 10 mil profissionais nacionais e internacionais da indústria em três dias; de ficar face-to-face com os seus clientes, identificando suas necessidades e reforçando relações de longo prazo; de expandir sua empresa em novos mercados com o lançamento de produto destinado a compradores interessados; e de promover sua empresa através das ferramentas online e onsite da Fi South America, antes e durante o show, para ajudar a conduzir os visitantes qualificados ao seu estande.Para os visitantes, é uma oportunidade de se juntar ao principal ponto de encontro da indústria de ingredientes de alimentos e bebidas da América Latina, encontrar novos fornecedores, discutir requisitos de P&D, descobrir as tendências da indústria e conhecer novos fabricantes e distribuidores de alimentos e bebidas nacionais e internacionais.Frases"A FiSA chega à sua 23ª edição em um mundo que cada vez mais volta os seus olhos para a indústria de ingredientes alimentícios, fato que nos leva à certeza de que este evento de negócios cresce em importância ano a ano"."A inovação continua sendo a principal característica da FiSA"."Em sua 23ª edição na América Latina, a Fi South America se consolida como o mais completo evento da indústria".

acessar
31/07/2019
Camu-camu: o fantástico potencial da natureza para a alimentação
Quando o assunto é nossa alimentação, saudabilidade e bem-estar é o que nós, consumidores, buscamos cada vez mais. E isto inclui ingredientes naturais, alimentos sem aditivos artificiais, como corantes, que, além de nutrir, entreguem algo a mais, como uma porção extra de fibras, vitaminas ou antioxidantes.O ritmo frenético da vida moderna e seus inúmeros aspectos têm afetado a qualidade de vida das pessoas, que começam a despertar a consciência sobre a importância de alimentos contendo componentes que auxiliam a promoção da saúde, trazendo, com isso, uma melhora no estado nutricional. E as frutas são um bom exemplo de onde podemos encontrar esta pitada a mais de saúde.O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo, atrás apenas da China e da Índia. Entre as frutas nativas da Amazônia que apresentam maior dinâmica de produção, comercialização e inserção nos mercados nacional e internacional estão o açaí (Euterpe oleracea) e o cupuaçu (Theobroma grandiflorum). As condições climáticas brasileiras favorecem uma grande diversidade de espécies frutíferas tropicais nativas, como o buriti (Mauritia flexuosa), uma fruta típica do cerrado, e o camu-camu, que cresce próximo dos rios e lagos da região Amazônica.O camu-camu (Myrciaria dubia) é ainda pouco difundido entre a população. É um fruto nativo da Amazônia brasileira e peruana que vem despertando o interesse de um número cada vez maior de pesquisadores devido a sua riqueza em componentes de interesse à saúde. Mas, muito antes desta fruta chamar a atenção dos humanos, foram os peixes da região amazônica que se deliciavam com ela. Esta fruta sempre foi muito apreciada na alimentação de várias espécies de peixes e até mesmo usada como isca. Atualmente, de uma forma saudável e sustentável, peixes e humanos dividem os benefícios do camu-camu, cada um de sua melhor forma. Fruto vermelho arroxeado, lembrando a jabuticaba, o camu-camu pode ser encontrado em quase toda a Amazônia brasileira, apresentando-se como um arbusto de pequeno porte que pode atingir de 4 a 8 metros de altura. Mas a distribuição natural em maior concentração encontra-se na Amazônia peruana. Recentemente, experiências positivas foram realizadas com o plantio da fruta em áreas fora da região Amazônica, no Vale do Ribeira, em São Paulo, e os primeiros frutos já começaram a ser comercializados daquela área com qualidade.O grande interesse no camu-camu está relacionado principalmente à sua composição bastante variada, com concentrações expressivas em compostos bioativos, o que faz a fruta uma matéria-prima promissora para alimentos saudáveis e suplementos alimentares. O camu-camu é apontado como uma das mais importantes fontes de Vitamina C, podendo conter até 6.000mg/100g de fruto. Se compararmos com outras frutas comumente conhecidas por seu alto conteúdo de Vitamina C, como acerola e laranja, teremos em 5,5 pequenos camus-camus o equivalente, em Vitamina C, a nove acerolas maduras ou a 30 laranjas (ou seja, 3 kg de laranja).A Vitamina C (ácido ascórbico) é uma vitamina hidrossolúvel com ação antioxidante, sendo um forte agente redutor e um eficiente neutralizador de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio (FRANKEL, 2012). Dentre os principais benefícios da Vitamina C in vivo pode-se citar, em nível imunológico, a atividade bactericida e aumento nas funções de defesa do organismo (IQBAL; KHAN; KHATTAK, 2004). Devido a sua capacidade antioxidante elevada, promove a inativação dos radicais livres, diretamente ligados ao processo de envelhecimento e doenças como câncer e distúrbios cardiovasculares (NUNES et al., 2011). Na diabetes, tem ação moduladora na ação da insulina, contribuindo no controle da glicemia (ARANHA et al., 2004). Em nível cardiovascular, melhora a capacidade vasomotora de endotélio de artérias coronárias em pacientes com hipertensão e doenças isquêmicas do coração, diminui o endurecimento arterial e a agregação plaquetária, além de reduzir aterogênese (MULLANet al., 2002). Outra importante função do ácido ascórbico está relacionada à síntese de colágeno, proteoglicanos e outros constituintes orgânicos da matriz extracelular em diversos tecidos, como os dentes, ossos e o endotélio capilar (MANELA-AZULAY et al., 2006).Os carotenóides também podem ser encontrados na fruta, principalmente a luteína e betacaroteno, em maior proporção. Para a luteína, alguns estudos demostraram ser responsável pela visão central e nitidez das imagens. Tanto a luteína como o betacaroteno apresentaram efeitos antioxidante, anticancerígeno e antiaterogênico, ou seja, mostraram-se eficientes em diminuir a placa de ateroma em pacientes com doença cardiovascular crônica e aguda.Caracteriza-se também por apresentar elevado conteúdo de compostos fenólicos, substâncias não nutritivas que chamam a atenção por sua ação antioxidante, capaz de, segundo algumas pesquisas, minimizar o risco de incidência de algumas doenças crônicas não transmissíveis, como colesterol alto, diabetes, triglicerídeos, atividade anti-inflamatória e anticâncer. Entre os compostos fenólicos presentes no camu-camu, destaca-se o ácido elágico (48mg/100g fruto fresco), as antocianinas cianidina-3-glucosídeo e delfinidina-3-glucosídeo (48mg e 2,75mg/100g fruto fresco) e os flavonóides quercetina (2,4mg/100g fruto fresco) e rutina (1,3mg/100g fruto fresco). Além destes compostos bioativos, podemos encontrar alguns minerais no camu-camu, como potássio, cálcio, magnésio e sódio.Entender as necessidades dos consumidores e entregar exatamente o que procuram, permitindo transformar novas exigências e tendências de mercado em produtos de sucesso. Este é o objetivo da multinacional brasileira Duas Rodas que, conectada as tendências globais de consumo, reforçou no último ano a sua linha Fruittion Botanicals, oferecendo ao mercado de alimentos e bebidas extratos em pó e líquidos e aromas focados nos ativos naturais de frutas e plantas da América Latina, como camu-camu, maqui, physalis e blueberry. São ingredientes que possibilitam explorar os benefícios naturais da fruta, promovendo em seus rótulos o teor real da fruta, assim como indicar a fonte de vitamina ou nutriente em seus produtos, entregando aos consumidores produtos de qualidade e com apelo de saudabilidade, transformando-os em oportunidades de negócios. ReferênciasARANHA, F.Q.; MOURA, L.S.A.; SIMÕES, M.O.S.; BARROS, Z.F.; QUIRINO, I.V.L.; METRI, J.C.; BARROS, J.C. Normalização dos níveis séricos de ácido ascórbico por suplementação com suco de acerola (Malpighia glabra L.) ou farmacológica em idosos institucionalizados. Revista de Nutrição, v. 17, n.3, p.309-317, 2004.FRANKEL, E. N. Antioxidants in food and biology: Facts and fiction. 2 ed., 2012, 265 p.IQBAL, K.; KHAN, A.; KHATTAK, M. A. K. Biological significance of ascorbic acid (vitamin c) in human health – a review. Pakistan Journal of Nutrition, v. 3, n. 1, p. 5-13, 2004. MANELA-AZULAY, M.; MANDARIM-DE-LACERDA, C. A.; PEREZ, M. A.; FILGUEIRA, A. L.; CUZZI, T. Vitamina C. Anais brasileiros de dermatologia, Rio de Janeiro, 78(3):265-274, maio/jun. 2003.MULLAN, B.A.; YOUNG, I.S.; FEE,H.; McCANCE, D.R.; Ascorbic acid reduces blood pressure and arterial stiffness in type 2 diabetes. Hypertension, v.40, p.804-809, 2002.NUNES, R.S.; KAHL, V.F.S.; SARMENTO, M.S.; RICHTER, M.F.; COSTA-LOTUFO, L.V.; RODRIGUES, F.A.; ABIN-CARRIQUIRY, J.A.; MARTINEZ, M.M.; FERRONATTO, S.; FERRAZ, A.B.; DA SILVA, J. Antigenotoxicity and antioxidant activity of acerola fruit (Malpighia glabra L.) at two stages of ripeness. Plant Foods for Human Nutrition, v. 66, n.2, p.129-135, 2011.*Karina Luize da Silva é especialista em Desenvolvimento e Pesquisa de Produtos da Duas Rodas.Duas Rodas Industrial Ltda.Tel.: 0800 707 9500duasrodas.com

acessar
31/07/2019
Ingredientes naturalmente saudáveis
Os seres humanos têm um senso inato de apego às coisas naturais. Portanto, não é nenhuma surpresa que a maioria das pessoas, nas últimas décadas, tenha uma forte preferência por alimentos naturais. Pesquisas realizadas mundo afora revelam que os atributos alimentícios mais desejáveis são frescor, naturalidade e mínimo processamento, sendo que a naturalidade dos alimentos demonstra ser um “incentivo decisivo de compra”, além, é óbvio, da estreita conexão entre natural e saudável.A naturalidade dos alimentos é uma construção altamente abstrata e difícil de ser quantificada ou medida. Além disso, o termo não é claramente definido ou regulamentado e está, portanto, aberto a uma ampla variedade de associações e interpretações individuais. Da mesma forma, o conceito de naturalidade com relação ao alimento é geralmente vago, obscuro e, às vezes, até enganoso para os consumidores. Apesar das dificuldades em se definir cientificamente a naturalidade, os consumidores parecem não ter problemas em avaliar intuitivamente a naturalidade dos alimentos, o que leva a implicações práticas, ou seja, a importância da naturalidade para os consumidores tem importantes implicações para a indústria de alimentos e pode ter consequências não apenas para o desenvolvimento e comercialização de alimentos, mas também para o desenvolvimento de tecnologias alimentícias inovadoras. Geralmente, os consumidores possuem interesses conflitantes quando se trata de alimentação: querem economizar tempo no preparo e, por isso, compram alimentos de conveniência, mas, ao mesmo tempo, gostam de alimentos não processados e naturais. Esse conflito de interesses pode representar uma oportunidade para a indústria de alimentos. Processos de produção, ingredientes, embalagens e marketing precisam ser combinados de forma que os consumidores percebam os produtos como alimentos naturais que tenham semelhanças com os tradicionais. A importância da naturalidade já é mais do que uma tendência no mercado alimentício e negligenciar esse aspecto na indústria de alimentos pode se mostrar muito caro no final. A definição do que é um produto alimentício natural tem sido objeto de discussão em todo o mundo há décadas. Apenas alguns países ao redor do mundo possuem regras definidas em sua legislação para o uso e para o termo natural. Até 2017, não havia uma definição internacionalmente aceita de ingrediente alimentício natural, mas uma nova especificação técnica da ISO - ISO/TS 19657: 2017 sobre definições e critérios técnicos para os ingredientes alimentícios serem considerados naturais, foi instituída para ajudar os profissionais do setor de alimentos e bebidas a falarem a mesma língua.Inicialmente caracterizado como um mercado de nicho, restrito a poucas categorias de alimentos comercializados para um segmento específico de consumidores, os produtos naturais têm se espalhado em um espectro mais amplo de mercado. Diante dessas tendências, as empresas têm encontrado, ao mesmo tempo, oportunidades e desafios.Natural, clean label, ecológico e sustentabilidade são as novas palavras-chave na indústria de alimentos e bebidas de hoje. Os produtos e ingredientes que contêm essas etiquetas criam demanda entre os consumidores e, portanto, influenciam significativamente a compra. As últimas duas décadas testemunharam a conscientização dos consumidores com relação a saúde e a busca por alternativas preventivas, ao invés de corretivas. E, nessa área, os alimentos e bebidas funcionais desempenham um papel importante, promovendo o conceito de "saúde em movimento". Mas para serem funcionais, esses alimentos e bebidas precisam conter ingredientes que promovam a saúde e o bem-estar. A megatendência de saúde e bem-estar impulsiona o mercado global de ingredientes naturais. O aumento da incidência de transtornos relacionados ao estilo de vida, como doenças cardiovasculares (DCV), obesidade, osteoporose e diabetes, tem estimulado o desenvolvimento de alternativas naturais. Os consumidores percebem os ingredientes naturais como opções que oferecem um impacto positivo na saúde; em contrapartida, os ingredientes sintéticos são vistos como prejudiciais à saúde. Como resultado, os fabricantes de alimentos prontamente responderam a essa situação, substituindo total ou parcialmente os ingredientes sintéticos por seus correspondentes naturais.Muitos ingredientes sintéticos usados na indústria de alimentos e bebidas possuem uma alternativa natural. Alguns dos ingredientes naturais proeminentemente usados nas matrizes de alimentos incluem antioxidantes e antimicrobianos naturais, que ajudam a preservar o tempo de vida útil dos alimentos, ou agem como ingredientes funcionais, oferecendo benefícios para a saúde. Outros ingredientes naturais incluem vitaminas, fitoquímicos, carotenóides, proteínas e probióticos, que se destinam a fornecer benefícios funcionais. Os ingredientes naturais também auxiliam na melhoria das propriedades sensoriais e texturais de alimentos e bebidas. Entre os aditivos alimentícios naturais, destacam-se os corantes e saborizantes naturais, que se enquadram na categoria de aditivos alimentícios sensoriais; e os emulsionantes naturais, amidos e gelificantes/hidrocolóides, utilizados para melhorar as propriedades texturais de alimentos e bebidas. Alguns ingredientes, como os antioxidantes naturais, desempenham um papel duplo, ou seja, são usados como ingrediente funcional, auxiliando no combater à doenças cardiovasculares, imunológicas e cutâneas, e também como aditivo alimentício, promovendo a extensão da vida útil e protegendo os produtos alimentícios contra a rancidez oxidativa.A indústria de aromas naturais ocupa uma parcela significativa do mercado de ingredientes naturais; a adição de novos corantes naturais nas bebidas criou novos caminhos para inovações no mercado; e os aditivos texturais naturais padrão, como a lecitina, estão substituindo gradualmente as variantes sintéticas. Além disso, os antioxidantes naturais e antimicrobianos também têm sido um segmento lucrativo no mercado de ingredientes naturais. A vitamina E natural, os extratos de alecrim e os extratos de chá verde são exemplos típicos que mostraram um progresso notável.Aliás, as plantas e extratos vegetais estão cada vez mais sendo integrados nas formulações alimentícias, podendo ser encontrados nos mais variados tipos de produtos colocados à disposição do mercado. Mudanças nos hábitos de consumo, maior preocupação com a saúde e inclusão de alimentos mais saudáveis na dieta têm feito com que o mercado de produtos naturais ganhe cada vez mais espaço. Segundo dados da agência de pesquisas Euromonitor International, em 2016 o mercado brasileiro de alimentos e bebidas saudáveis chegou a registrar R$ 93,6 bilhões em vendas; as pesquisas da agência apontam um crescimento anual para o setor de 4,4% até 2021. Nos últimos cinco anos, o crescimento do setor de alimentos e bebidas saudáveis foi, em média, de 12,3% ao ano, de acordo com estudo da consultoria internacional Euromonitor. E não para por aí. Em 2019, a previsão é que o segmento de produtos naturais cresça ainda mais e atinja 50% neste ano, movimentando R$ 110 milhões.Já o mercado global de alimentos e bebidas naturais foi avaliado em US$ 79,137 milhões em 2016 e estima-se que atinja US$ 191,973 milhões em 2023, crescendo a uma taxa de 13,7% de 2017 a 2023. A América do Norte e a Europa são os principais mercados para ingredientes alimentícios naturais, representando aproximadamente 60% do mercado global. O Brasil é, atualmente, o quarto maior mercado para produtos saudáveis.Os números realmente impressionam e chamam a atenção das indústrias de alimentos e bebidas, que passam a apostar na inclusão ou incremento de produtos naturais em seus portfólios.

acessar
31/07/2019
Papel da nutrição nas funções cognitivas
A função cognitiva é um conjunto de habilidades complexas. Memória, raciocínio, atenção e coordenação psicomotora são apenas algumas das características que contribuem para a capacidade mental.As principais funções cognitivas são percepção, atenção, memória, linguagem e funções executivas. É a partir da relação entre todas estas funções que entendemos a grande maioria dos comportamentos, desde os mais simples, até as situações de maior complexidade e que exigem atividades cerebrais mais elaboradas.A percepção é uma função cognitiva constituída pelos processos que permitem reconhecer, organizar e dar significado a um estímulo vindo do ambiente através dos órgãos sensoriais. A atenção é uma função cognitiva bem complexa e diversos comportamentos resultam de um nível adequado de atenção para serem bem sucedidos. É, também, um pré-requisito fundamental para o processo de memorização.A memória é uma das funções cognitivas mais utilizadas pelo ser humano em seu cotidiano. Pode ser definida como a capacidade de armazenar informações, lembrar delas e utilizá-las no presente.A linguagem é uma função cognitiva usada todos os dias, durante a maior parte do tempo, seja através da linguagem oral (em uma conversa) ou da escrita (ao ler ou escrever um texto).O conhecimento sobre o cérebro e suas funções intensificou-se na última década com os avanços nas técnicas de neuroimagem. Da mesma forma, a nutrição vem demonstrando desempenhar um papel importante no desempenho cognitivo, permitindo desenvolver plenamente o potencial físico e intelectual, sendo especialmente importante no desenvolvimento das diferentes fases da vida, desde a infância até a velhice.A nutrição vem demonstrando desempenhar um papel importante no desempenho cognitivo, permitindo desenvolver plenamente o potencial físico e intelectual, sendo especialmente importante no desenvolvimento das diferentes fases da vida, desde a infância até a velhice.O cérebro precisa de nutrientes para a sua formação, desenvolvimento e manutenção de suas funções. As diferentes células que o compõem precisam ser alimentadas para cumprir essas funções e algumas delas precisam de nutrientes específicos para cumprir seu papel dentro da estrutura complexa do cérebro. O conhecimento já acumulado, aliado às recentes descobertas, permite identificar vários mecanismos que associam a saúde do cérebro com a alimentação e a nutrição. A nutrição é um processo que ocorre desde o início da vida e dela depende a sobrevivência da espécie humana e o desenvolvimento de seu potencial, estando intimamente relacionada com o cérebro e o desenvolvimento cognitivo do ser humano.A nutrição é possivelmente o fator ambiental que pode determinar uma ampla gama de efeitos no desenvolvimento do cérebro. Os nutrientes podem influenciar as macroestruturas e microestruturas cerebrais e a função dos neurotransmissores e, tudo isso, como um todo, terá um impacto no desenvolvimento cognitivo. Os macronutrientes também são uma fonte de energia que o cérebro requer para o seu funcionamento adequado. O conhecimento já acumulado, aliado às recentes descobertas, permitiram identificar vários mecanismos que associam a saúde do cérebro com a alimentação e a nutrição. Entre os principais aspectos nutricionais mais claramente relacionados com o desempenho cognitivo, estão o fornecimento de energia para o cérebro (especificamente a implementação de determinados alimentos ou ingestão de carboidratos), o consumo de proteínas e ácidos graxos, especialmente ômega-3, e de micronutrientes, como ferro, vitaminas do complexo B e antioxidantes.Uma dieta variada que inclua alimentos ricos em nutrientes, com uma repartição adequada dos mesmos, tem mostrado ser a melhor estratégia nutricional para assegurar o melhor funcionamento cognitivo, tanto em crianças como em adolescentes e adultos.

acessar
31/07/2019
Resgatando os sabores originais dos produtos “reduzidos” e “zero”
Segundo uma pesquisa realizada pela Nielsen em 2016, 48% dos brasileiros declararam ter algum tipo de intolerância ou alergia alimentar. O número de intolerantes ou alérgicos tem crescido exponencialmente nos últimos anos, assim como a quantidade de produtos lançados especificamente para esse público. De acordo com Mintel, atualmente o número de lançamentos de novos produtos voltados para pessoas com algum tipo de restrição alimentar é 500% maior do que 10 anos atrás.A alergia a algum tipo de alimento está relacionada com o sistema imunológico da pessoa, que pode se manifestar na forma de reações adversas como irritações na pele, ou ainda afetando o funcionamento do sistema gastrointestinal e respiratório. Já a intolerância alimentar, se dá por conta de uma insuficiência ou ausência de enzimas digestivas, que são normalmente produzidas pelo organismo de uma pessoa saudável.Até o momento já foram mapeados mais de 170 alimentos que podem causar alergias ao ser humano. Entretanto, sabe-se que cerca de 90% dos casos de alergia alimentar são ocasionados por apenas oito alimentos: ovos, leite, peixe, crustáceos, castanhas, amendoim, trigo e soja. Dentre todas essas restrições, produtos sem leite ou trigo são os mais encontrados no mercado, uma vez que as restrições a esses alimentos podem ser verificadas na forma de alergia ou intolerância. Desde 2015, tornou-se obrigatório no Brasil a rotulagem de forma compreensível e visível de presença dos principais alimentos alergênicos. Hoje, na embalagem de todos os produtos devem constar informações sobre a presença intencional ou por possibilidade de contaminação cruzada de todos os 17 alergênicos listados na legislação (RDC nº26, de 02/07/2015).A restrição alimentar também pode estar associada a outros fatores diferentes da alergia ou intolerância. Doenças como Diabetes e Hipertensão também requerem cuidados na alimentação, a partir da redução do consumo de alimentos ricos em açúcares e sódio respectivamente. O crescimento do mercado de produtos adequados para consumidores com algum tipo de restrição alimentar também está relacionado com a grande demanda por um estilo de vida mais saudável por opção própria do consumidor.A forte tendência de Saúde & Bem-estar que está predominantemente concretizada na América Latina, está diretamente relacionada com uma alimentação mais balanceada, sem excessos e livre de ingredientes que possam causar algum tipo de desconforto ao consumidor. O glúten e a lactose por exemplo, embora sejam compostos que provocam efeitos colaterais nos consumidores intolerantes, também estão sendo removidos da dieta das pessoas que buscam um estilo de vida mais saudável. O marketing envolvido no lançamento dos produtos sem lactose ou sem glúten está quase sempre atrelado a conceitos saudáveis, com redução de gordura e açúcares, o que fortalece a imagem de um produto natural e benéfico a saúde.De acordo com a Nielsen, apenas 37% dos consumidores intolerantes ou alérgicos dizem ter suas necessidades atendidas, enquanto que 66% pagariam mais para obterem alimentos sem ingredientes indesejáveis. Dessa forma, percebe-se que ainda há uma grande demanda por esse tipo de produto no mercado.No entanto um dos maiores desafios da indústria de alimentos hoje, é desenvolver formulações desses produtos que tenham sabor agradável, ou que ainda sejam similares às versões originais. Um exemplo muito comum é a aceitação dos produtos zero açúcar pelo consumidor que está habituado com o sabor doce da versão original. Ou ainda, os produtos dairy-free como iogurtes e leites vegetais que normalmente possuem um sabor desagradável ao paladar.Na formulação dos produtos para dietas com algum tipo de restrição são utilizados ingredientes substitutos que podem causar sabores indesejáveis ou ainda, que podem descaracterizar o sabor do produto, devido à remoção do ingrediente original. Esse empecilho pode ser solucionado com êxito a partir da introdução de aromatizantes que trazem de volta o sabor original às receitas.A partir da aplicação de aromatizantes (naturais, idênticos aos naturais ou artificiais), é possível mascarar sabores indesejáveis, aumentar a percepção de alguns gostos básicos, ou ainda trazer o sabor de algum ingrediente sem a sua inclusão de fato. Por exemplo:A tecnologia FlavorSweet pode mascarar o residual amargo dos produtos diet que contém edulcorantes, além de aumentar a percepção de dulçor em produtos com redução de açúcar.Aromas de Nuts, como Nozes, Castanhas, Amendoim, Pistache ou Amêndoa podem trazer esses sabores característicos para sorvetes, biscoitos, pães e doces, mesmo sem utilizá-los na formulação.A linha FlavorBase é capaz de mascarar o sabor desagradável de bebidas vegetais como leites de amêndoas, soja, coco, etc.; ou bebidas com alto valor proteico.Aromas de Leite podem trazer as notas lácteas para produtos de panificação ou bebidas mesmo que não contenham leite na composição.Aromas de Ovo, Carne, Frutos do Mar, também são alternativas para dar sabor a produtos em suas versões veganas, como maioneses, hambúrgueres, ou molhos, por exemplo.Aromas de pão e lenha trazem mais sabor para produtos de panificação sem glúten;Aromas de diferentes tipos de Queijos ou Manteiga são excelentes opções para trazer sabor característico para produtos dairy-free como queijos veganos e manteiga vegetal.A tecnologia Sodiumless acentua a percepção do sabor salgado dos alimentos reduzindo em até 40% o aporte de Sódio.De modo geral, os aromatizantes são responsáveis pela caracterização de diversos produtos, promovendo a personalidade, que dá a essência aos alimentos que consumimos. Pensando nisso, a Cramer traz diversas soluções para ajudar as empresas a criar produtos para que todas as pessoas, mesmo as que têm algum tipo de restrição alimentar, ou que optam por um estilo de vida mais leve e saudável, possam continuar apreciando e sentindo o prazer de saborear um bom alimento! ReferênciasABIA (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos). Padrão ABIA para o Atendimento ao Consumidor pelas Indústrias de Alimentos. Agosto, 2014. ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Alimentos associados a alergias começam a ser rotulados com advertência ao consumidor. Junho, 2016ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia). Alergia alimentar. Maio, 2009. BINSFELD, B. de L. et al. Conhecimento da rotulagem de produtos industrializados por familiares de pacientes com alergia a leite de vaca. Setembro 2009.Mintel GNPD (Global New Products Database). Análise dos produtos lançados a nível global com posicionamento “Adequado para”. Julho, 2019.NIELSEN, E. O que há na comida e na mente do brasileiro? Fevereiro 2017.*Gabriela Casadei da Cruz é responsável pela área de Flavor Innovation Support - Brasil e Cristina Viganó é Chefe de Aplicação.Cramer BrasilTel.: (19) 3544-8337cramerlatam.com

acessar
23/07/2019
Entrevista: Marco Basso - indústria de alimentos e bebidas a importância desse setor para a economia brasileira
Mesmo diante da desaceleração econômica e de cenários econômicos instáveis, a indústria de alimentos e bebidas segue em expansão, mantendo o crescimento. Afinal, qual a fórmula para esse sucesso? Quem responde a essa e a outras perguntas é Marco Basso, presidente da Informa Markets, em entrevista exclusiva à revista Aditivos & Ingredientes.Como o senhor define a indústria de alimentos e bebidas no Brasil?Estratégica, ágil e inovadora. Não à toa que é uma das mais importantes na economia brasileira. Como organizadores dos três eventos mais importantes desse setor, Fispal Tecnologia, Fispal Food Service e Food Ingredients South América (FiSA), somos testemunhas de todo o esforço da indústria em se manter atual, atendendo as demandas dos consumidores e antecipando tendências e comportamentos de consumo.Qual a importância da indústria de alimentos e bebidas no cenário econômico brasileiro?É de extrema importância. Sozinha essa indústria corresponde a 9,6% do PIB brasileiro, sendo geradora de 1,6 milhão de postos diretos de trabalho. Além disso, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), esse também é o maior setor da indústria de transformação do país, em valor de produção. A cadeia processa 58% de toda a produção agropecuária nacional e tem um faturamento estimado em R$ 656 bilhões.Como o setor de aditivos e ingredientes tem contribuído e como ainda pode contribuir para o crescimento da indústria alimentícia?O setor de aditivos e ingredientes é fundamental para esse crescimento. Ao longo das últimas décadas, a indústria de alimentos e bebidas viu a exigência do consumidor crescer exponencialmente, assim como as leis que regulam esse setor. Diante disso a adequação e o surgimento de novas soluções pelo segmento de aditivos e ingredientes foram fundamentais para que a indústria de alimentos continuasse crescendo e sendo relevante. É interessante observar também como a busca por inovação no segmento de aditivos e ingredientes tem passado por empresas dos mais variados perfis, que incluem desde grandes indústrias até startups, por exemplo. Prova disso é que, desde o ano passado, a FiSA promove dentro da feira o Start-up Innovation Challenge, que premia as melhores inovações em Ingredientes Alimentícios e Produtos Alimentícios. São diversas iniciativas e ideias extremamente relevantes que demonstram a forma como o setor pode evoluir e seguir sendo competitivo.Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), o setor alimentício brasileiro registrou um crescimento de 2,08% em faturamento no ano de 2018, atingindo R$ 656 bilhões, somadas exportação e vendas para o mercado interno. Ou seja, mesmo diante de cenários econômicos instáveis, o segmento segue em expansão e crescimento. Qual o segredo para driblar a crise e ter sucesso? Acredito que seja uma união de fatores. O primeiro deles é que a indústria de alimentos e bebidas sabe responder com agilidade novas regras e legislações, assim como as demandas dos clientes. Todos os anos novos produtos, ingredientes e soluções surgem nas prateleiras como respostas às principais tendências de mercado e ao novo comportamento do consumidor. Isso aconteceu, por exemplo, com os alimentos diet, light e fit e, mais recentemente, com a crescente busca por opções vegetarianas, veganas, sem glúten e sem lactose, por exemplo. Outro fator importante é a alta capacidade de inovação dessa indústria e o seu comprometimento com o investimento em tecnologias, maquinário e soluções. A inovação é visível aos olhos da sociedade todos os dias nas prateleiras, mas poucos sabem o que há por trás disso. Somente na Fispal Tecnologia, maior feira para a indústria de alimentos e bebidas da América Latina que em 2019 completou 35 anos, são mais de R$ 3,5 bilhões em negócios gerados nas últimas décadas. Esse empenho em gerar negócios, sem dúvidas, foi fundamental para que a indústria não perdesse competitividade mesmo diante de cenários econômicos adversos.Soma-se a isso, ainda, outro ponto fundamental: a busca por conhecimento, informações e qualificação do setor como um todo, que faz com que a cadeia não apenas responda de forma assertiva aos clientes, mas consiga antecipar demandas e criar necessidades e tendências de mercado por entender seu público profundamente.Os consumidores estão cada vez mais conscientes e exigentes com relação aos alimentos que consomem. Como esse comportamento afeta o setor alimentício? Como a indústria dealimentos e bebidas tem respondido a essa expectativa do consumidor?O comportamento do consumidor é sempre o ponto de partida para a indústria. Essa exigência e demanda por produtos cada vez melhores foi, sem dúvida, um dos fatores que impulsionaram a indústria de alimentos.Hoje, vemos um mercado extremamente competitivo, de alto nível e que responde aos anseios do consumidor nos mais variados aspectos.O que o mercado de saudabilidade representa, hoje, para a indústria de alimentos e bebidas?O tema saudabilidade representa hoje um grande marco para a indústria de alimentos e bebidas e é uma das provas do cuidado e comprometimento desse setor com as demandas atuais. O tema que começou a ser discutido há mais de 30 anos com os alimentos diet evoluiu e hoje deixou de ser nicho. É uma questão que envolve todos os setores da cadeia, desde ingredientes até novas tecnologias, processos produtivos e adequação de embalagens, para tornar os alimentos brasileiros ainda mais saudáveis.Qual a importância da inovação e da tecnologia no setor de alimentos e bebidas?A inovação e a tecnologia são fundamentais para a evolução de qualquer tipo de indústria. Em um mercado como o de alimentos, em que a velocidade das transformações é cada vez maior, isso se torna ainda mais relevante. A Informa Markets, como market maker, tem como compromisso ajudar a desenvolver os mercados em que atua e o setor de alimentos e bebidas está inserido nisso. Neste contexto, temos orgulho de oferecer em nossos eventos fóruns, palestras, workshops e experiências voltadas à inovação e tecnologia. São centenas de horas de conteúdos disponibilizados ao mercado que ajudam a ditar os próximos passos do setor.Na sua opinião, o Brasil é um país tecnologicamente evoluído na área de alimentos e bebidas?Sem dúvidas, todos os anos a indústria investe em atualização e busca se tornar mais relevante. Temos um ótimo exemplo disso na Fispal Tecnologia, que anualmente reúne os players do mercado para exposição de novas tecnologias para a indústria de alimentos e bebidas e geração de negócios. Ao longo dos 35 anos da feira, mais de R$ 3,5 bilhões já foram movimentados no evento, o que corresponde a uma média de R$ 100 milhões por edição.Atualmente, tem se falado muito sobre a Indústria 4.0. Como essa nova "tecnologia" se aplica e como pode auxiliar no crescimento do setor de alimentos e bebidas? A indústria 4.0 está diretamente relacionada à evolução da indústria, não apenas do setor de alimentos. É um passo importante para que o Brasil siga sendo competitivo e que agrega muito em valor e produtividade. Sabendo da importância desse tema para o desenvolvimento industrial do Brasil, a Informa Markets investe de forma constante neste tema nos eventos e conteúdos dos mercados em que atua. O objetivo é, além de incentivar a adoção de processos produtivos mais eficazes, qualificar o setor para trabalhar com essa nova realidade.Hoje, qual a importância do mercado brasileiro no cenário mundial de alimentos e bebidas?O Brasil é hoje o segundo maior exportador de alimentos industrializados do mundo. Sendo a Ásia, Europa e Oriente Médio os principais mercados. Segundo informações da ABIA, destacam-se neste mercado produtos como o suco de laranja e açúcar, mercado em que o Brasil é líder global em produção e exportação. E o de carnes, café solúvel e óleo de soja, onde o país ocupa a segunda posição no ranking mundial de exportação.Além disso, essa importância é perceptível quando analisamos o cenário dos eventos do setor, que contam cada vez mais com expositores e visitantes internacionais, inclusive nas rodadas de negócios e fóruns de conteúdo.Frases"O tema saudabilidade representa hoje um grande marco para a indústria de alimentos e bebidas e é uma das provas do cuidado e comprometimento desse setor com as demandas atuais"."A adequação e o surgimento de novas soluções pelo segmento de aditivos e ingredientes foram fundamentais para que a indústria de alimentos continuasse crescendo e sendo relevante". "A indústria de alimentos e bebidas é de extrema importância para o cenário econômico brasileiro. Sozinha essa indústria corresponde a 9,6% do PIB brasileiro. Esse também é o maior setor da indústria de transformação do país, em valor de produção"."A indústria de alimentos e bebidas no Brasil é estratégica, ágil e inovadora. Não à toa que é uma das mais importantes na economia brasileira".

acessar
11/07/2019
A importância da textura e como otimizá-la quando se tratam de snacks
Diante de alimentos e bebidas, os consumidores buscam experiências sensoriais convincentes, com texturas, sabores, aromas e qualidades táteis que despertem sensações agradáveis. É necessário compreendê-los profundamente para provocar uma experiência diferenciada.Textura é um dos atributos mais importantes na experiência sensorial do consumidor ao saborear alimentos e bebidas. É cremosidade nos iogurtes, sobremesas e sopas. É crocância nos biscoitos e nos snacks. É intensidade nos molhos. Textura é o que confere aos produtos aquela sensação especial, que direciona a aceitação e preferência e que faz a diferença, influenciando na decisão de compra. De acordo com a Mintel, textura é a mais recente ferramenta para envolver os sentidos e proporcionar experiências dignas de compartilhar. Em pouco tempo, o som, a sensação e a satisfação que a textura proporciona se tornarão cada vez mais importantes para empresas e consumidores.No último ano, 14% dos lançamentos de alimentos na América Latina tiveram uma reivindicação de textura e 18% somente na categoria de biscoitos.Os consumidores estão mais exigentes e para atender essas buscas, é essencial que cada empresa leve em consideração a possibilidade de customização de produtos focados em diferentes tipos de consumidores. A melhor solução para atender essa grande tendência de personalização em alimentos é o uso de texturizantes, como hidrocolóides e amidos, que em combinação e compondo sistema permite a criação de novas texturas.É possível alterar a textura de produtos para torná-los mais atrativos, além de conquistar a preferência do consumidor e agregar aos produtos novas sensações. Algumas tendências na América Latina são claramente identificadas nos diferentes grupos de produtos de panificação. A fortificação em pães, a redução de açúcar em bolos e biscoitos principalmente na categoria de crianças. Além disso, formulações mais saudáveis em biscoitos estão cada vez mais popular na aqui na América Latina.Na alquimia em busca do produto ideal, a textura perfeita surge como uma oportunidade na conquista da preferência do consumidor. Novas possibilidades na textura de snacksCom os texturizantes PRECISA® Crisp da Ingredion, você pode criar lanches assados com a textura perfeita e com a funcionalidade que você precisa. Esse ingrediente não só otimiza a textura, como também impacta positivamente a maquinabilidade e a ligação da massa, reduzindo a quebra do produto e melhorando sua lucratividade através da redução de custos.Ofereça aos consumidores uma experiência alimentar de alta qualidade com produtos que satisfaçam suas preferências de textura e mouthfeel. Veja algumas das funcionalidades e benefícios que os texturizantes PRECISA® Crisp promovem:• Texturas leves e crocantes ou duras e crocantes.• Ligação e facilidade no uso da massa.• Adaptação de expansão.• Redução da quebra e melhoria na retenção de lascas.• Ligação da umidade durante a mistura.• Inchaço do amido na água fria.A linha de texturizantes PRECISA® Crisp cria uma grande variação de texturas em snacks, sejam eles assados ou fritos. Confira:Fale com os experts em snacks e textura da Ingredion e descubra como otimizar seus produtos e inovar na experiência sensorial dos seus consumidores.*Andrea Cunha, Diretora de Marketing da IIngredion.Ingredion Brasil Ingredientes Industriais Ltda.Tel.: (11) 5070-7835ingredion.com.br

acessar
11/07/2019
Experiências sensorias no universo das texturas
A textura dos alimentos define a experiência alimentar e impulsiona a preferência do consumidor pelos produtos alimentícios. Este sempre foi um aspecto fundamental da experiência alimentar humana e é conhecido pelos formuladores de alimentos, bem como pelos consumidores mais exigentes desde o início da preparação dos alimentos. Assim como as artes culinárias, a ciência dos alimentos, a ciência dos materiais, a ciência sensorial e o estudo do comportamento do consumidor evoluíram em escopo e complexidade, o desenvolvimento de conhecimentos técnicos para otimização e design da textura dos alimentos, usando ferramentas multidisciplinares estruturadas, também se desenvolveu. Agora, é possível desenvolver uma visão de como a capacidade de estudar e otimizar a textura pode impulsionar a escolha do consumidor.A percepção da textura dos alimentos é um processo sensorial complexo que envolve a interação de uma variedade de características do produto e dos sentidos humanos. Do ponto de vista sensorial, a textura de um alimento é avaliada quando está sendo mastigada na boca e as sensações físicas que proporciona para os dentes e a língua; um termo conhecido como paladar.A textura pode ser considerada uma manifestação das propriedades reológicas de um alimento e constitui um atributo importante de qualidade, que influencia os hábitos alimentares e a preferência do consumidor, afetando o processamento e o manuseio do alimento. Uma variedade de ferramentas e técnicas são usadas para desenvolver texturas ideais de alimentos. Do ponto de vista da textura, as ferramentas disponíveis para otimizar a textura dos alimentos podem ser divididas em dois conjuntos: formulação e otimização de processos.Com a ampliação do conhecimento da ciência alimentar, a formulação de alimentos evoluiu para uma ferramenta muito mais científica, que permite desenvolver e otimizar a textura dos alimentos.Diferentes ingredientes têm sido tradicionalmente usados para transmitir uma variedade de experiências texturais. As utilizações tradicionais de ingredientes incluem o uso de gorduras para fornecer lubrificação ou revestimento para a boca; ingredientes à base de amido para proporcionar viscosidade; ou ingredientes à base de proteínas para fornecer características de gel. Avanços significativos foram feitos nos ingredientes disponíveis que fornecem aos formuladores de alimentos uma caixa de ferramentas versátil para projetar e otimizar a textura. Os avanços feitos incluem uma variedade de ingredientes à base de carboidratos, proteínas e gorduras. Os ingredientes de carboidratos incluem amidos, gomas, fibras e uma variedade de ingredientes derivados. Os ingredientes à base de gordura de diferentes fontes com diferentes níveis de insaturação e refinamento podem influenciar uma variedade de texturas. Os ingredientes à base de proteínas de origem animal e vegetal, incluindo concentrados e isolados, também podem fornecer uma variedade de benefícios à textura. Os ingredientes funcionais fornecem uma variedade de propriedades de textura, incluindo viscosidade, gelificação e outros atributos texturais em muitas aplicações. Por exemplo, os ingredientes à base de carboidratos podem ser usados para fornecer atributos relacionados à indulgência e à lubricidade, bem como à gelificação, o que anteriormente só era possível usando ingredientes à base de gordura ou proteína.Entre os aditivos alimentícios utilizados para potencializar as características dos alimentos estão os agentes de textura, como o amido, a goma acácia, a pectina, as proteínas lácteas e a gelatina. Além dos ingredientes funcionais, o impacto do processamento, incluindo temperatura, nível de cisalhamento e pressão, tem sido um tópico de considerável estudo por cientistas e engenheiros de alimentos há anos. Os fabricantes e consumidores estão reconhecendo a importância das novas experiências que os alimentos e bebidas podem oferecer, e a associação de bom sabor e textura são requisitos que atendem a grande parte das tendências do mercado de consumo; estudos recentes revelam o crescente interesse dos consumidores por alimentos com novas texturas. Entretanto, viabilizar industrialmente produtos que supram essas expectativas e necessidades iminentes do consumidor não é uma tarefa tão simples. No desenvolvimento de um produto, a textura de referência e desejada deve ser bem caracterizada por análises que permitam a avaliação e comparação do produto desenvolvido com o produto de referência. A utilização de agentes de textura visando o melhoramento de um produto ou mesmo a substituição de um componente pode ser muito mais complexa do que a simples mudança de formulação, envolvendo o desenvolvimento e/ou adequações de etapas do processamento.A textura dos alimentos tem sido uma das características fundamentais que os consumidores procuram em seus produtos alimentícios e impulsiona a preferência do consumidor e a intenção de compra. Isso sempre foi importante, mas à medida que a ciência e a tecnologia se desenvolveram, é cada vez mais possível otimizar a textura e direcionar a textura de um novo produto pelo design. Existem três categorias principais de iniciativas de desenvolvimento de produtos relacionados à textura que são comumente encontradas na indústria de alimentos: o desenvolvimento de um novo produto alimentício com um alvo desejado para a textura como parte da experiência geral de consumo; a reconstrução da textura de um produto alimentício existente, mudando alguns ingredientes-chave, mantendo a textura e a experiência alimentar para criar um perfil nutricional mais saudável e desejável; e a transformação da textura de um produto existente em um que seja mais altamente desejável para o consumidor-alvo.Com base nas tendências atuais e emergentes do mercado, a textura continua a ser um fator-chave na inovação, no design e na otimização de produtos alimentícios. Uma área chave de foco onde a textura precisará ser abordada é a otimização de custos e iniciativas de acessibilidade, já que as flutuações no preço dos ingredientes alimentícios exigem iniciativas para otimizar o custo das formulações de alimentos, mantendo, ao mesmo tempo, uma experiência alimentar desejável. Isso pode incluir a substituição de fontes caras de carboidratos, gorduras ou proteínas por outras mais econômicas, minimizando as mudanças indesejáveis na experiência alimentar.Outra área de foco continua sendo a redução de ingredientes que podem ser prejudiciais se consumidos em excesso. Iniciativas atuais em diferentes partes do mundo incluem a redução de diferentes tipos de gorduras, sal e açúcar. Esses ingredientes têm impacto na textura e sabor, mas também podem ter impacto sobre outros fatores, incluindo shelf life e segurança alimentar. O impacto de reduzir ou eliminar ingredientes indesejáveis das formulações de alimentos precisa ser compensado usando uma combinação de ingredientes e processamento. A adição de ingredientes saudáveis ao produto alimentício continua sendo um desafio com relação à textura. O desenvolvimento de novos produtos é focado principalmente em novas formulações e aspectos como a textura podem oferecer uma oportunidade para criar um fator de diferenciação sem comprometer as variações de sabor.Embora a textura não seja o único caminho para a inovação, oferece grande potencial em comparação a outros tipos de experimentação sensorial em alimentos. A inovação em textura fornece aos consumidores novas experiências de consumo com base nos mesmos sabores de produtos experimentados e testados, mesclando familiaridade com um pouco de novidade.A ciência e a tecnologia de projetar e otimizar texturas nos alimentos evoluiu significativamente nos últimos anos e continua em ritmo acelerado.

acessar
11/07/2019
GNT - Alimentos que conferem cor para bebidas naturais e sustentáveis com selo rótulo limpo
Quem quiser oferecer bebidas que sigam a tendência de mercado, não poderá abrir mão dos produtos naturais.IntroduçãoA indústria de bebidas sofre crescente pressão para inovar: Os clientes desejam diversificação, novas tendências de sabores e alternativas interessantes para as bebidas alcoólicas tradicionais. Simultaneamente, a pressão para o consumo de produtos naturais e de uma alimentação saudável tornaram-se um critério decisivo na hora da compra. Aditivos artificiais são componentes impeditivos para muitos consumidores. O governo também está atento ao uso decorantes, conservantes e outros aditivos. Os fabricantes precisam repensar seus produtos para permanecerem competitivos. A solução, para que os fabricantes não tenham de abrir mão da naturalidade e nem de corantes eficazes, é a utilização de alimentos que conferem cor. PublicaçãoUm dos fatores mais importantes, para a compra de alimentos e de bebidas, é a cor. Ela é responsável por 75 por cento da primeira impressão causada pelo produto e representa um importante indicador de qualidade e frescor. Além disso, ela estimula uma expectativa com relação ao sabor, já que o cérebro associa certas cores a determinados aromas. O verde evoca uma associação com a saúde, frescor e naturalidade, mas também com acidez. As tonalidades avermelhadas e lilases, por sua vez, fazem o produto parecer mais doce. Sendo assim, as cores desempenham um papel de muita importância no desenvolvimento de bebidas.Hoje em dia, as bebidas precisam fazer mais do que apenas matar a sede. Os consumidores querem refrigerantes, smoothies e etc., que provoquem uma experiência de prazer, uma explosão de sabor e a refrescância certa em todas as situações. Isto aplica-se particularmente ao setor de refrigerantes para adultos, que desejam alternativas sem álcool e que satisfaçam a um paladar exigente e, de preferência, sejam uma opção à altura para as bebidas alcoólicas. A oferta de bebidas aumentou imensamente nos últimos anos, como as de quase águas e de chás com novos ingredientes, tais como vegetais e frutas exóticas, ou smoothies com os chamados superalimentos. Dessa forma, os fabricantes de bebidas na América Latina adicionam ingredientes como água de coco ou açaí a coquetéis tradicionais como a caipirinha, ou mesmo destilados clássicos regionais como a cachaça, também recebem a adição de novos ingredientes, criando novas variações que conquistam uma admiração que vai além das fronteiras dos países. Alguns produtores são ainda mais audaciosos e acrescentam carvão ativado aos coquetéis e sucos. Esse proporciona, por um lado, um resultado surpreendente na cor, e por outro, apresenta supostamente um efeito desintoxicante, entre outros. Quando ervas, cereais ou até algas são adicionadas aos sucos de frutas, sabores surpreendentes são obtidos. As plantas substituem os adoçantes industrializados, seguindo a tendência atual de menor consumo de açúcar. Em todas as novas criações, a cor desempenha um papel fundamental, pois é ela que, assim como a embalagem, chama a atenção do consumidor na seção de bebidas. O efeito causado por uma bebida precisa ser sustentado por um conceito de cor perfeitamente balanceado. Quando padrões convencionais de cores são quebrados e misturados a cores e sabores de uma forma completamente inovadora, a curiosidade do consumidor é aguçada. Experiências multissensoriais também oferecem grande potencial. Graças às cores provenientes das frutas, vegetais e das plantas comestíveis, a adição de aditivos corantes se torna obsoleta.A naturalidade é fundamental para o sucesso das vendasOs consumidores brasileiros demonstram alto nível de consciência saudável ao comprarem e apreciarem alimentos.O Grupo GNT, fabricante da marca líder mundial EXBERRY®, demonstrou por meio de uma vasta pesquisa de consumo, que 75 por cento dos consumidores brasileiros analisam cuidadosamente os rótulos nos supermercados antes de colocarem os produtos nos seus carrinhos de compras. Eles são especialmente criteriosos quanto à utilização de aditivos. Caso haja menção de conservantes ou de aromatizantes artificiais no rótulo, o produto volta para a gôndola. Principalmente quando de trata de sabores exóticos e de cores incomuns e fortes, como por exemplo o rosa, fica claro que o fabricante deve ter dado uma mãozinha. Cada vez mais fabricantes atendem ao desejo pela naturalidade e oferecem bebidas sem a adição de corantes. Existe, contudo, uma necessidade dos clientes que não é atendida: Há uma discrepância entre o que os consumidores entendem por cores naturais e os produtos disponíveis no supermercado. Mais de um terço dos consumidores brasileiros espera que apenas corantes naturais sejam utilizados. Eles têm ideais concretas de como isso deve ocorrer: Um em cada dois consumidores brasileiros acha que as cores naturais são provenientes exclusivamente de matérias primas, como frutas e vegetais. Cores produzidas com a utilização de materiais obtidos de insetos ou minerais, têm aceitação de apenas 12 por cento. Esse resultado aponta claramente, que os consumidores não são apenas extremamente críticos em relação a corantes sintéticos, como também em relação àqueles, que foram extraídos de materiais naturais com o auxílio de processos químicos. Exemplos disso são o carmim ou o carvão vegetal.Para garantir a necessidade de os consumidores compreenderem a origem dos produtos, eles dependem de rótulos que sejam facilmente compreendidos. Oitenta e um por cento dos consumidores brasileiros dão grande valor à lista de ingredientes, pois compreendem sua composição. A tendência da rotulagem "Clean Label" também vem ganhando terreno no Brasil.Colorido e natural através de alimentos que conferem cor. Para atenderem às necessidades dos consumidores, e ao mesmo tempo manterem-se competitivos, os fabricantes de bebidas necessitam de alternativas naturais aos aditivos corantes, que sejam tanto estáveis como economicamente viáveis e que ofereçam um amplo espectro de cores. Os alimentos que conferem cor são a solução. Os concentrados de frutas, vegetais e de plantas comestíveis são produzidos exclusivamente com o auxílio de cuidadosos processos físicos. Solventes ou aditivos químicos são estritamente proibidos. Alimentos que conferem cor não são aditivos, mas sim alimentos, e podem assim ser listados no rótulo do produto, por exemplo como "concentrado de cenoura". Atendendo assim totalmente ao desejo do consumidor por mais naturalidade e os corantes naturais são ideais para bebidas com rótulos limpos (Clean Label). A marca de alimentos que conferem cor líder mundial de mercado é a EXBERRY®, produzida pelo Grupo GNT. Os concentrados podem ser utilizados em todos os tipos de bebidas - desde bebidas quentes, passando por refrigerantes e sucos de frutas até bebidas alcoólicas. Eles são livres de alergênicos, produtos geneticamente modificados. Além disso, sua utilização não têm nenhuma influência sobre o sabor, textura ou sensação na boca, pois o produto final obtém uma cor tão intensa, que apenas uma pequena quantidade de concentrado é necessária. As soluções de cor são o resultado de um processo de produção que obedecem a altos níveis de qualidade. A integração vertical assegura uma excelente qualidadeHá 40 anos o Grupo GNT produz alimentos que conferem cor. Os concentrados cumprem os mesmos critérios de qualidade das cores sintéticas ou naturais com relação à diversidade, brilho e estabilidade. Isso é possível por meio da integração vertical da cadeia de distribuição. Desde a seleção das sementes até a conclusão do concentrado acabado, cada etapa é supervisionada de perto. A chave para o sucesso da produção de alimentos que conferem cor é a seleção das sementes e das melhores matérias primas. Por isso, a GNT trabalha há muitos anos em estrita parceria com agricultores contratados. Eles cultivam somente as espécies que comprovaram seu valor através dos estudos realizados pela empresa e que dispõem de uma alta concentração de cor. Isso se aplica às matérias primas que são cultivadas dentro de um raio de 200 km de distância de ambas as fábricas em Heinsberg (Alemanha) e Mierlo (Holanda), assim como às mercadorias de outras partes do mundo. Cerca de 80 por cento das frutas, vegetais e plantas utilizadas, são cultivadas no território fronteiriço entre a Alemanha, Bélgica e Holanda. Os 20 por cento restantes são provenientes de outras regiões, uma vez que algumas das matérias primas de cor intensa utilizadas pela GNT não crescemnas latitudes europeias (p. ex. Espirulina ou cártamo). Colheita e tempo ideal de maturaçãoAs frutas, vegetais e plantas são colhidas na época ideal de maturação -quando as cores tenham atingido o desenvolvimento ideal. Todo o processo é supervisionado in loco por engenheiros agrícolas. A GNT ainda realiza constantes e abrangentes controles de qualidade para assegurar a mais alta qualidade.Durante a campanha de promoção de produtos frescos, de agosto a janeiro, a atividade nos campos e fábricas em Mierlo e Heinsberg atinge seu pico. Dentro de algumas horas, após a colheita, frutas e vegetais são processados, para se evitar a perda das cores. Nesse processo, as matérias primas - por exemplo cenouras, groselhas pretas ou uvas - são picadas, fervidas, filtradas e finalmente concentradas. Já que nenhum solvente químico é utilizado, os concentrados podem ser consumidos a qualquer momento, mesmo durante o processo de produção. Para evitar a produção de resíduos e fazer o melhor uso possível dos alimentos utilizados, 95% dos restos são aproveitados como alimento para animais e em fábricas de biogás. Em primeiro lugar, os produtos semiacabados são fabricados a partir das matérias-primas, que estão constantemente em estoque. O concentrado pronto para uso será preparado apenas a pedido do cliente. Essa abordagem garante a disponibilidade de cada solução durante o ano todo assim como a melhor estabilidade possível de preços e alta qualidade constante, independentemente da época e da produção atual da safra.Antes que uma solução EXBERRY® personalizada possa ser desenvolvida individualmente para o cliente, um outro passo importante é necessário: o desenvolvimento da fórmula. Aqui os especialistas em aplicação da GNT entram em ação. Eles dão suporte a seus clientes ao longo de todo o processo de desenvolvimento do produto e supervisionam intensamente a substituição dos corantes artificiais para alimentos - indo desde a seleção do concentrado correto, passando por testes de estabilidade até as questões regulatórias. Com um total de doze filiais na América do Sul, Ásia e Europa pessoas de contato estarão à disposição dos fabricantes in loco. A entrega também ocorre diretamente através das subsidiárias no local. Especialistas em aplicação desenvolvem soluções sob medidaJuntamente com o produtor de alimentos, os especialistas em cores discutem a utilização das características específicas, na qual o alimento colorante deverá ser empregado. Embora EXBERRY® seja basicamente de fácil utilização, cada produto apresenta desafios específicos. Nos centros de aplicação, os alimentos coloridos são intensamente testados para a aplicação nas respectivas categorias de produtos até que a cor, intensidade e estabilidade desejadas sejam alcançadas. Todos os fatores que podem influenciar a estabilidade e o desempenho são levados em consideração. Isso inclui minerais e vitaminas, sabor e a reação entre os ingredientes individuais, bem como o nível de pH. A embalagem, uma possível oxidação e as condições climáticas no país, onde o produto será vendido, desempenham umimportante papel. Somente quando todos os fatores tiverem sido testados, a solução EXBERRY® apropriada para a aplicação será selecionada dentre a gama de produtos ou então uma solução individualizada será sugerida. A GNT oferece não apenas um ingrediente corante, mas sim uma solução completa, individual e sob medida aos seus clientes.Mais de 1.400 clientes e cerca de 75 paísesOs alimentos que conferem cor EXBERRY® não conferem apenas cores luminosas às bebidas – até produtos de confeitaria, produtos lácteos, produtos de panificação ou salgados beneficiam-se das soluções de cores naturais. Os concentrados podem ser adquiridos em forma líquida ou em pó. Graças à sua ampla gama de produtos de concentrados de frutas, vegetais e de plantas, a EXBERRY® se estabilizou na década passada como líder inovadora no segmento de alimentos que conferem cor. Em julho de 2017, a primeira gama completa de cores para produtos salgados foi lançada no mercado. Também com a introdução de soluções de cores dispersíveis em óleo e em gordura, assim como com os primeiros pós micronizados feitos a partir de alimentos que conferem cor, a EXBERRY® supriu um nicho de mercado.Em decorrência da crescente demanda por alimentos naturais, os alimentos que conferem cor se desenvolveram na Europa e nos EUA em níveis de padrão industrial e a demanda é crescente na Ásia e na América do Sul. Hoje mais de 1.400 clientes em cerca de 75 países contam com a EXBERRY® - entre eles os principais produtos de alimentos e bebidas. A cada ano cerca os concentrados podem ser encontrados em cerca de 30 bilhões de porções de alimentos e bebidas. Isso significa, que teoricamente, cada pessoa do mundo consome em média 4 porções que contém EXBERRY® - e esse número cresce constantemente.*Mário Slikta é Gerente Geral da GNT Brasil.GNT Brasil Distribuidora de Alimentos Ltda.Tel.: (11) 4550-1230gnt-group.com

acessar
08/07/2019
Doremus - Novas experiências sensoriais no mercado de suplementação e seus desafios
A suplementação no Brasil é um mercado imenso e um dos que mais crescem no mundo, e mesmo com tanta concorrência - no mercado brasileiro existem mais de 500 marcas pertencentes a 100 empresas, delas 70% nacionais e 30% importadas - existem ainda muitas possibilidades de atuação.Vamos aos dados:Segundo Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais, a ABENUTRI, em 2018, só o setor de Nutrição Esportiva - uma das quatro divisões do mercado, que ainda inclui Bem-Estar, Perda de Peso e Nutrição Cosmética - cresceu 12% em relação ao ano anterior, e teve um faturamento na casa de R$ 2,24 bilhões. Este ano a expectativa de crescimento está em 15%.E o que fazer para conquistar um espaço no meio disso tudo? Bom, nosso time de aromistas, engenheiros e técnicos de alimentos tem se desdobrado e trabalhado bastante para trazer alternativas que podem ser a diferenciação e levar o seu produto para um patamar além do convencional.Desafios da engenharia do sabor É praticamente desnecessário mencionar que os sabores dos suplementos devem ser irresistíveis ao paladar. Mas aroma vai muito além de - apenas - saborizar os produtos. Uma das principais funções é ter o poder de mascarar e transformar sabores residuais e inevitáveis da matéria-prima, que geralmente tem funções muito especificas nas formulações dos suplementos, em produtos palatavelmente aceito.E aqui entra a alquimia e um dos maiores desafios deste setor!Os sabores mais tradicionais como baunilha, morango e chocolate - que compõem a maior parte do mercado - por si só já apresentam muitas variedades entre eles. Como assim?Por exemplo, o aroma de morango! Existem uma infinidade de “tipos” de sabor morango.Eles podem variar desde sabores mais verdes até extremamente maduros. Podem ser mais ácidos ou mais doces. Intensos ou suaves. Apresentar notas mais fantasias ou serem mais frutais.Além de tudo isso eles podem ser: aromas naturais, idênticos ao natural ou artificias. Desta forma, todas essas nuances devem ser levadas em consideração ao se desenvolver um aroma.Temos também que levar em conta o aumento da exigência por produtos clean label ou produto destinados a consumidores com intolerâncias alimentares ou restrições alimentares (vegetarianos e veganos), que podem limitar ou impedir a adição de algumas substâncias ao produto em desenvolvimento.Ou seja, o trabalho é bem complexo!Usando o sabor como aliado e diferenciaçãoNo item anterior falamos dos desafios que encontrados na hora de criar um aroma, e quando desejamos criar um aroma que na verdade é a junção de vários aromas?Como por exemplo, um aroma de tiramisù.Neste caso envolve a interação de diferentes aromas e sensações, onde temos uma composição de sabores.O adocicado e o queimado da bolacha. O avanilado e a suavidade do creme. O seco e amargo do cacau. E por fim, o intenso e característico do licor do café. Como trazer tudo isso para o aroma? Como fazer as notas características de cada parte do doce, que se apresentam na boca em momentos diferentes, explodirem dentro de um único aroma?Com tudo isso em mente, devemos pensar inicialmente, que o aroma é um único produto. Composto por substâncias aromáticas, por extratos e óleos naturais. Que conferem sabor e odor, e na maioria das vezes, não remetem a um produto único, mas sim a uma nota sensorial. Com a junção de todas essas notas, que conseguimos alcançar o aroma esperado e o perfil esperado.Mas como chegamos nisso? Aí é que está a “magia” e a maior dificuldade da criação de aromas.O trabalho com as quantidades e o balanço das substâncias aromáticas. Algumas substâncias possuem intenso impacto aromático enquanto outras são mais suaves.Saber trabalhar com as dosagens é o que permite a elaboração de aromas que apresentem notas mais frescas ou maduras, doces ou ácidas, amarelas ou vermelhas. É o que difere um aroma de amendoim para um de carne, por exemplo. Temos matérias primas comuns e similares na produção de aromas. Ou seja, tudo na criação dos sabores se restringe ao equilíbrio entre as dosagens das matérias primas.Com a evolução do mercado e o aumento da exigência dos consumidores, cada vez mais buscando por produtos mais gostosos, indulgentes e similares aos sabores originais, o refino dos balanços tem se tornado mais essencial para a elaboração de produtos competitivos.Fiquem sempre atentos a esta área da indústria de alimentos, pois a evolução e a busca por aromas cada vez mais gostoso e prazerosos são continuas, além de ser é um dos principais pilares que move os profissionais da área.Doremus Alimentos Ltda.Tel.: (11) 2436-3333 doremus.com.br

acessar
Anterior
Próximo
1 / 17

Telefone:

11 5524-6931       11 99834-5079

Newsletter:

Fique conectado:

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001