Guia 2021

Cadastre-se
anuncie
MENU
MÍDIA KIT 2021
Download
COTAÇÃO DE INGREDIENTES
GUIA DE FORNECEDORES
CADASTRE SUA EMPRESA - CLIQUE AQUI


Voltar

Rhodiola rosea: um adaptógeno para o gerenciamento do estresse físico

Nosso mundo está mudando. O estresse físico e emocional se tornou parte da vida de todos - e os impactos do estresse em nossa saúde são marcantes. Do estresse diário do trabalho, da escola e da vida familiar ao peso cada vez mais acentuado para a saúde mental e física, de uma crise de saúde pandêmica global, é claro que as pessoas estão se tornando mais conscientes da sua saúde mental e física e dos riscos de estresse em nosso bem-estar.

Altos níveis de estresse físico e emocional têm sido associados a taxas crescentes de condições inflamatórias crônicas e doenças não transmissíveis, como diabetes, obesidade, asma e alergia, problemas gastrointestinais, doenças autoimunes e até morte prematura.

Um relatório da APA (American Psychological Association) intitulado “Stress in America 2020”, adverte que o país está enfrentando uma crise nacional de saúde mental que pode gerar graves consequências sociais e de saúde nos próximos anos - acrescentando que o impacto será ampliado nos jovens adultos da Geração Z(2) que estão em um momento crucial de suas vidas e enfrentam um futuro incerto. O quadro é semelhante em todos os países, com incidência crescente de estresse, ansiedade e outras condições de saúde mental em todas as faixas etárias.

Adaptógenos, uma solução natural?

Adotar uma abordagem natural e holística para prevenir e aliviar o estresse físico e mental é agora a prioridade de muitos. Que você seja um pai moderno, um estudante estressado, um guerreiro de fim de semana ou um adolescente saudável com o objetivo de ficar em forma e ativo, reduzir o estresse ficando mais em forma e praticando rotinas de atividade física é vital para a adaptação a crise atual de saúde.

O crescimento da ioga, dos aplicativos de atenção plena e o aumento do interesse em alimentos deixando as pessoas em forma, com disposição, de bom humor (good mood foods), são ótimos exemplos de como os consumidores estão priorizando o autocuidado e procurando soluções naturais e holísticas para o estresse. Quando se trata de ingredientes adaptogênicos, a raiz da Rhodiola rosea é uma das mais conhecidas e validadas cientificamente e tem uma história rica, tanto na cultura siberiana quanto na medicina tradicional chinesa.

Há mais de 20 anos, o Dr. Zakir Ramazanov pesquisou e popularizou os efeitos poderosos da raiz da Rhodiola rosea. Em 1997, fundou a PoliNat, na ilha de Gran Canaria, na Espanha, junto com o Dr. Miguel Jimenez. A empresa, que mudou depois (2017) para o nome de Nektium, é a maior processadora de Rhodiola rósea, desde 1998. Em 2013 lançou Rhodiolifeâ, um dos primeiros extratos padronizados comercialmente disponíveis de Rhodiola rosea.

A Nektium garante um fornecimento estável e de longo prazo das raízes de Rhodiola rosea da mais alta qualidade, enquanto um programa de garantia de qualidade de 50 etapas, totalmente rastreável, garante que cada lote de Rhodiolifeâ seja autenticado em cada passo da jornada.

Um adaptógeno poderoso! A Rhodiola rosea demonstrou ter benefícios para a energia mental e o humor, além de aumentar o desempenho atlético, melhorar a recuperação e aumentar a proteção imunológica após exercícios e esportes.

Nektium foi o pioneiro na compreensão dos efeitos dos vegetais nas atividades elétricas do cérebro. Em estudos neurofisiológicos de ponta, a ingestão de Rhodiolifeâ resultou em um rápido início da atividade estimulante, com efeitos benéficos que duraram pelo menos cinco horas e aumentos na LTP (Long Term Potentiation), um efeito relacionado a melhorias na memória espacial e temporal, enquanto estudos sobre genes relacionados à neurodegeneração e neuroproteção sugerem que o Rhodiolifeâ atua como um neuroprotetor.

Pesquisa focada no impacto de Rhodiolifeâ no bem-estar mental relatou melhorias significativas nos sintomas de transtorno de ansiedade generalizada (GAD - Generalized Anxiety Disorder) após a ingestão de Rhodiolifeâ, com uma redução nos escores da Escala de Avaliação de Ansiedade de Hamilton (HARS - Hamilton Anxiety Rating Scale). Além disso, uma avaliação clínica de extratos de Rhodiola rosea em pessoas com transtorno depressivo maior e depressão leve induzida por estresse relatou ações antidepressivas da Rhodiola rosea.

Vários estudos clínicos também vinculam a Rhodiola rosea à melhora da resistência e à recuperação física dos músculos, enquanto outros sugerem atividade de suporte imunológico em atletas.

É sabido que os atletas são especialmente propensos a infecções após estresse físico e exaustão. Pesquisas em corredores de maratona também relacionaram os principais compostos bioativos do Rhodiolifeâ a uma atividade protetora contra essas infecções, diminuindo, portanto, o risco de os atletas adoecerem após uma competição.

A autenticidade e qualidade são importantes para a Nektium. Relacionamentos de longa data com parceiros locais garantem um fornecimento estável e de longo prazo de raízes de Rhodiola rosea da mais alta qualidade, garantindo a disponibilidade contínua do ingrediente sem o risco de variações de preço e qualidade de lote para lote.

As raízes da Rhodiola rosea usadas para o Rhodiolifeâ são colhidas manualmente nas montanhas limpíssimas da região de Altai, na Sibéria - um território protegido com práticas de colheita sustentáveis e responsáveis.

As raízes com crescimento médio de três a cinco anos são colhidas de forma sustentável em seu habitat natural, seguindo as Boas Práticas de Agricultura e Coleta (GACP - Good Agricultural and Collection Practices). A Nektium trabalha com parceiros para evitar a colheita repetida na mesma localização e para permitir o restabelecimento sustentável da população de plantas, enquanto as auditorias do processo de coleta e das instalações de armazenamento no local, na Sibéria, são realizadas regularmente.

Como já mencionado acima, com décadas de experiência e parceiros de longa data, a Nektium implementou um programa de garantia de qualidade de 50 etapas totalmente rastreável para garantir que cada lote de Rhodiolifeâ seja autenticado em cada etapa da jornada.

Testes rigorosos de identidade, incluindo perfis macroscópicos, sensoriais, cromatográficos e análise independente de código de barras de DNA de cada lote de material vegetal são realizados, de modo que cada lote de material possa ser enviado aos clientes com um certificado de análise e vários documentos mostrando a autenticidade e rastreabilidade através da cadeia de abastecimento.

No entanto, é o nível de compostos bioativos importantes, chamados rosavinas e salidrosideos, que tornam a Rhodiola rosea e, portanto, a Rhodiolifeâ, um adaptógeno único e poderoso. A autenticidade dos ingredientes da Rhodiola rosea pode ser identificada não apenas por esses compostos, mas também pela proporção desses ativos presentes na planta, bem como no extrato.

Sob estritas condições de fabricação cGMP, a Nektium usa um processo de extração suave e exclusivo para garantir a preservação de todo o espectro de compostos fitoativos naturais, que são padronizados para diferentes graus de rosavinas e salidrosideos.

Como uma marca extra de garantia de qualidade e segurança para aplicações esportivas, Rhodiolifeâ é o primeiro ingrediente a base de Rhodiola rósea disponível no mercado que possui o certificado BSCG Certified Drug Free,

A Nektium trabalha com o Banned Substances Control Group (BSCG) para testar e certificar materiais vendidos para fins esportivas. O programa BSCG testa 496 drogas, incluindo 272 drogas que são proibidas por uma ampla gama de organizações esportivas.

Principal problema: o não reconhecimento científico e oficial

A EMA (Agência Europeia de Medicamentos) afirmou em um documento de reflexão de 2008 que, embora vários estudos de pesquisa ao longo de mais de cinco décadas tenham tentado provar a existência e eficácia dos adaptógenos, a pesquisa tem sido deficiente em suas metodologias e não apoia a conclusão de que os adaptógenos realmente existem e trabalham como reivindicado e, portanto, o termo "adaptógeno" não pode ser usado para comercialização na UE.

A maioria dos estudos conduzidos em adaptógenos foi realizada na União Soviética, Coréia e China antes da década de 1980 e foi parcialmente rejeitada por várias falhas metodológicas. Atualmente, o termo não é aceito nas práticas farmacológicas, fisiológicas ou clínicas convencionais na União Europeia, pois requer mais estudos e mais dados. Nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration emitiu um alerta em 2013, para uma empresa sediada em Washington, por publicidade ilegal e falsas alegações de saúde relacionadas ao uso da palavra "adaptogen" para um de seus produtos.

Em resumo, o conceito de adaptógeno, embora seja um termo popular de marketing, não é amplamente aceito pela comunidade científica e os estudos disponíveis atualmente são insuficientes para demonstrar a eficácia de tais substâncias em ajudar a aliviar o estresse.


Notas:
 (1) Os adaptógenos, ou substâncias adaptogênicas, são usados na medicina fitoterápica para a alegada estabilização de processos fisiológicos e promoção da homeostase. O conceito de adaptógenos foi originalmente criado em 1947, para descrever uma substância que pode aumentar a resistência ao estresse. A adaptogênese foi posteriormente aplicada na ex-União Soviética para descrever remédios que aumentam a resistência do organismo ao estresse biológico.
 (2) A Geração Z é a definição sociológica para a geração de pessoas nascidas, em média, entre a segunda metade dos anos 1990 até o início do ano 2010. A teoria mais aceita por estudiosos é que surgiu como sucessória à Geração Y, do final de 1982 (começo do Echo Boom). Portanto, é a geração que corresponde à idealização e nascimento da World Wide Web, criada em 1990, por Tim Berners-Lee, e no "boom" da criação de aparelhos tecnológicos modernos. A grande nuance dessa geração é zapear, tendo várias opções, entre canais de televisão, internet, vídeo game e smartphones.
As pessoas da Geração Z são conhecidas por serem nativas digitais, muito familiarizadas com a internet, compartilhamento de arquivos, telefones móveis, não apenas acessando a rede de suas casas, mas também pelo celular, estando, assim, extremamente conectadas. Suas principais características são: compreensão da tecnologia e abertura social às tecnologias.
Alguns especialistas sugerem que, por estarem passando pela Grande Recessão, a primeira grande crise econômica desde a primeira Grande Depressão - porém não maior - e que atinge sobretudo os jovens, as gerações Y e Z passaram a ser dominadas por um sentimento de insatisfação e insegurança quanto à realidade e ao futuro da economia e da política. Esta geração é confrontada com uma diferença de renda cada vez maior em todo o mundo e uma classe média encolhendo, o que tem levado ao aumento dos níveis de estresse nas famílias.
O habitat da Geração Z, assim como o da Geração Y, é o do desemprego e da precariedade. A Geração Z presenciou o surgimento de indivíduos, grupos e movimentos políticos e sociais anti-establishment, resultado do aprofundamento da polarização ideológica na sociedade, através da chamada Ciberpolítica e que atrai uma parcela - ainda que minoria - dessa geração, parcela essa constitutiva a uma "geração bloqueada", segundo o sociólogo João Teixeira Lopes.
Por outro lado, ao contrário de todas as outras gerações anteriores, essa geração é tida como a mais tolerante que já existiu, a mais aberta à legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo e, inclusive, sendo também a mais favorável à igualdade de gênero. Fonte: Wikipedia
 (3) A Rhodiola rosea foi descrita pela primeira vez por Pedanius Discorides (40 - 90), autor greco-romano, considerado o fundador da farmacognosia através da sua obra “De materia medica”, a principal fonte de informação sobre drogas medicinais desde o século I até ao século XVIII. É uma planta com flor perene da família das Crassulaceae. Cresce naturalmente nas regiões árticas selvagens da Europa (incluindo a Grã-Bretanha), Ásia e América do Norte. Tem sido usada na medicina tradicional para vários transtornos, incluindo o tratamento de ansiedade e depressão. As raízes da Rhodiola rósea contém cerca de 140 compostos, como fenóis, rosavina, rosina, rosarina, ácidos orgânicos, terpenóides, ácidos fenólicos e seus derivados, flavonóides, antraquinonas, alcalóides, tirosol e salidrosideo. A composição química de um óleo essencial de Rhodiola rósea varia muito, dependendo da região da qual provém. Por exemplo, rosavina, rosarina e rosina em sua concentração mais alta, de acordo com muitos testes, podem ser encontradas apenas em Rhodiola rosea de origem russa.


Michel A. Wankenne

Editor-in-Chief








Artigos relacionados



Envie um artigo



Telefone:

11 3628-6931       11 99834-5079

Newsletter:

Fique conectado:

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Srg. Lourival Alves de Souza
130 - Conj. 113 - 1˚ Andar
04675-020 - Jardim Taquaral
São Paulo, SP - Brasil

001